Sinal dos Tempos: Protestam por construção de ponte demasiado católica nos Estados Unidos


30.03.2017 -

Um grupo de vizinhos do povoado de Radnor, na Filadélfia (Estados Unidos), protestou contra a construção de uma ponte por considerá-la “demasiado católica”, porque terá duas cruzes.

n/d

O desenho da ponte inclui duas cruzes que medem 1,40 metros cada uma e que estarão localizadas em cada extremo da estrutura. A ponte conectará o campus principal da Universidade Católica de Villanova com a outra parte de seus terrenos.

A polêmica se deu porque os carros que cruzam a Rota 30 poderiam ver a ponte e suas cruzes por baixo.

Os vizinhos argumentam que a universidade está indo além da separação entre a Igreja e o Estado ao colocar cruzes em um caminho público.

“Acho que estão ultrapassando seu sentido ecumênico para esfregar essas cruzes em nossas caras”, expressou ao ‘Inquirer Daily News’ uma moradora e opositora às cruzes, Sara Pilling.

Outros vizinhos protestaram dizendo que o dinheiro dos contribuintes não deveria financiar uma ponte que exibe um elemento religioso. Do mesmo modo, alguns consideram que a ponte deveria incorporar as cruzes de uma forma mais sutil.

A presidente da Liga de Mulheres Votantes de Radnor, Roberta Winters, disse ao jornal ‘Inquirer’ que, “embora reconheçamos a importância de Villanova em nossa comunidade e a notoriedade que outorga a Radnor, não haveria formas menos ostentosas para refletir uma instituição católica?”.

Devido aos protestos, a Junta de Comissionados de Radnor decidiu submeter a construção da ponte à votação. Este projeto foi aprovado a favor da universidade no mês passado com 6 votos contra 0.

Diante das críticas, os funcionários da Universidade de Villanova manifestaram que a instituição estava em seu direito de colocar cruzes na ponte, porque pertence à universidade e está dentro de sua propriedade.

“Em cada edifício do campus há uma cruz”, expressou o Reitor da universidade, Pe. Peter Donohue, ao jornal ‘Inquirer’.

“Eu entendo as sensibilidades das pessoas, mas é algo que sempre fizemos. É parte de quem somos. Somos uma instituição que tem suas raízes na fé”, acrescentou.

Inclusive depois da aprovação unânime da Junta de Comissionados de Radnor, alguns vizinhos mantiveram sua oposição e entraram em contato com uma fundação que escreveu uma “forte carta” de oposição ao projeto dirigida ao departamento de transportes da Pensilvânia.

Na missiva, indicaram que com o dinheiro da ponte estavam financiando inconstitucionalmente símbolos cristãos. Também solicitaram a retirada das cruzes.

O departamento de transportes expressou aos meios de comunicação locais que sua contribuição de 3,7 milhões de dólares ao projeto foi para ter direito sobre a parcela do trecho da via que controla.

Indicaram que não têm poder sobre a obra da universidade, porque compete à sua propriedade e aos seus próprios fundos. Além disso, porque estão cobrindo o custo das cruzes e de quase toda a ponte.

Fonte: www.acidigital.com  via  www.sinaisdoreino.com.br

============================

Nota de www.rainhamaria.com.br

O bem-aventurado Francisco Palau escrevia o jornal El Ermitaño com o objetivo de lutar contra as hostes de Satanás e tudo o que implica a Revolução e a impiedade que se unem para empreender uma ofensiva contra DEUS. A Revolução, ou o “Antro tenebroso”, como ele a denomina significa “todos os poderes da terra coligados com os do inferno em guerra contra DEUS". Esta atividade implica a romper a ordem e atacar os princípios da verdadeira legislação dada por DEUS. (El Ermitaño, 29 de Julho de 1869 p.2)

Essa é a rebelião final dos homens contra o Seu Criador e DEUS, assim como, o anjo caido, Satanás, que se rebelou.

"Quebraste desde o princípio o meu jugo, rompeste os meus laços, e disseste: não servirei". (Jeremias 2, 20.)

Diz ainda na Sagrada Escritura:

"Ninguém de modo algum vos engane. Porque primeiro deve vir a apostasia, e deve manifestar-se o homem da iniqüidade, o filho da perdição". (2Ts 2,3)

"Mas, quando vier o Filho do Homem, acaso achará fé sobre a terra?"  (São Lucas 18, 8)

"Então despediu a multidão. Em seguida, entrou de novo na casa e seus discípulos agruparam-se ao redor dele para perguntar-lhe: Explica-nos a parábola do joio no campo.
Jesus respondeu: O que semeia a boa semente é o Filho do Homem. O campo é o mundo. A boa semente são os filhos do Reino. O joio são os filhos do Maligno. O inimigo, que o semeia, é o demônio. A colheita é o fim do mundo. Os ceifadores são os anjos. E assim como se recolhe o joio para jogá-lo no fogo, assim será no fim do mundo". (São Mateus 13, 36-40)

 

Veja também...

São Luiz de Montfort: Eis aqui dois partidos que se defrotam todos os dias; o de Jesus Cristo e o do mundo

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne