Atualizando a noticia: Bispo de Porto Novo, em Benin, na África, emitiu um decreto obrigando a todos os eclesiásticos a usar a batina como traje eclesiástico normal. Leia o decreto do Bispo


24.05.2017 -

n/d

===============================

Nota de www.rainhamaria.com.br

Atualizando a noticia publicada ontem (23/05) aqui no site.

Leia o decreto emitido pelo Mons. Aristide Gonsallo, Bispo de Porto Novo,  Benin - África.

n/d

Decreto para a regulamentação vestuária do uso da batina na diocese de Porto-Novo:

No documento lê-se, entre outras coisas, que como um precioso dom de Deus aos homens, a fé é a melhor maneira de conhecer a Deus e amá-Lo e que o grau de maturidade e solidez da fé duma Igreja se mede a partir da sua capacidade de comunicar a fé professada mas também se manifesta pela qualidade das suas obras de caridade, como diz o Apóstolo São Tiago em Ti, II, 18.

Diz ainda o bispo que a realização das obras de Evangelização da diocese de Porto-Novo começaram pelos pioneiros de ontem e continua pela devoção dos pastores de hoje que deve ser apoiada não só pela fé, mas também pela caridade de todos os seus filhos.

Em conformidade com as disposições dos cânones 284 e 669 do vigente Código de Direito Canónico,

Eu decreto: (Bispo Aristide Gonsallo)

1. O traje eclesiástico normal de qualquer clérigo (diocesano, religioso, membro de uma sociedade clerical de vida apostólica) na diocese de Porto-Novo é apenas a batina;

2. O uso de batina é obrigatório,
- para a celebração ou administração de todos os sacramentos, especialmente a Eucaristia;
- para a celebração de qualquer para-liturgia;
- em qualquer reunião de clérigos e em qualquer reunião com a participação do clero quer ao nível diocesano quer paroquial, como por exemplo as concelebrações da Missa, reuniões de presbíteros;
- em lugares onde os fiéis solicitam o clérigo para o exercício do ministério sacerdotal;
- nas visitas ao bispo, independentemente do momento e do motivo da visita;
- em qualquer lugar onde a identidade do sacerdote possa levantar dúvidas

n/d

Com o desejo de que o uso da batina seja uma evidência no seio da comunidade cristã do testemunho publico que todos os padres devem dar da sua própria identidade e da sua pertença especial a Deus, eu vos asseguro da minha comunhão orante em Jesus por Maria.

Dado em Porto-Novo, a 09 de Maio de 2017

Fonte: Blog Senza Pagare

=============================

Nota de www.rainhamaria.com.br

O padre de batina não fica distante das pessoas, por acharem ele ultrapassado, porque muitos procuram no padre não um amigo a mais, mas um homem de Deus, acolhedor, mas também uma pessoa que transmita autoridade e segurança. Batina é o distintivo, a farda de um soldado. Já viste policial, um reles deles, sem farda? Sem farda ele perde a autoridade. Também assim é o padre.

n/d

Se ele não estiver a usando ele se mistura ao povo, e o povo o engole.

O Santo João Paulo II, declarou sobre a importância do uso da batina: "Um testemunho da identidade do padre e de que pertence a Deus, em um mundo tão sensível à linguagem das imagens. É o sinal de um serviço sem descanso, sem idade, porque ele está gravado em sua própria alma".

 

Veja também...

Lembrando que Santo Padre Pio não tolerava vestidos curtos ou com decotes baixos, saias justas, e meias-calças transparentes, dentro da Igreja, que é a Casa de Deus

Artigo republicado: Sete Excelências da Batina

Bispo nigeriano difundiu o terço para derrotar o islamismo. Enquanto a diocese era dominada pelo terror, o corajoso prelado pregava a reza do Rosário implorando a intercessão da Bem-aventurada Virgem Maria para acabar com o flagelo muçulmano

 

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne