Comissário europeu da Justiça preocupado com a segurança do Papa


21.09.2006 - TAMPERE, Finlândia  - O comissário europeu de Justiça, Franco Frattini, pediu nesta quinta-feira aos Estados membros da União Européia (UE) que levem a sério as ameaças contra o Papa Bento XVI após seu polêmico discurso sobre o Islã.


Faço uma convocação aos Estados membros para que levem a sério as ameaças contra o Papa Ratzinger", declarou o comissário em Tampere (sul da Finlândia), por ocasião de uma reunião informal dos ministros da Justiça e Interior dos 25.

A direita italiana, a qual pertence Frattini, acusa o governo de esquerda de Romano Prodi de não preocupar-se com a segurança do Papa na viagem que o mesmo fará à Turquia de 28 a 30 de novembro.


Frattini pede à UE unidade para defender Bento XVI


O comissário europeu de Segurança, Liberdade e Justiça, Franco Frattini, pediu hoje aos países europeus que se unam para defender "a mensagem de tolerância do Papa" diante das ameaças dos radicais islâmicos após as polêmicas palavras de Bento XVI.

Frattini começou com esta mensagem seu discurso no conselho informal de ministros de Interior e Justiça da União Européia (UE), realizado hoje e amanhã na localidade finlandesa de Tampere.

Segundo o comissário europeu, a Europa sofre atualmente duas ameaças: a do terrorismo e a que paira sobre o Papa e sobre o Vaticano.

"É muito importante ressaltar que o Papa simboliza não só uma religião mas também uma mensagem de tolerância, uma mensagem de respeito mútuo", ressaltou.

"Não posso aceitar nem a mal-interpretação voluntária do discurso do Papa nem a reação violenta ao atacar igrejas", acrescentou.

Para resistir a estas ameaças, Frattini propôs relançar o diálogo entre a UE e os muçulmanos moderados, "que são a grande maioria dos muçulmanos e não podem ser seqüestrados por uma minoria de violentos e radicais".


Fonte: UOL notícias


Rainha Maria - Todos os direitos reservados

PluGzOne