A rebelião final contra Deus continua: Livro publicado recentemente no Reino Unido, propõe ensinar ideologia de gênero para crianças a partir dos 7 anos de idade


19.01.2017 -

Está causando polêmica um livro publicado recentemente no Reino Unido que propõe ensinar ideologia de gênero para crianças a partir dos 7 anos de idade. O livro intitulado Can I Tell You About Gender Diversity?   (Posso lhe falar sobre a diversidade de gênero?), de autoria de  C J Atkinson, foi aprovado pelo Departamento de Educação do Reino Unido.[i]

n/d

Tal obra está sendo distribuída por Educate & Celebrate, uma entidade financiada pelo governo do Reino Unido que trabalha para “transformar escolas e organizações em LGBT + lugares amigáveis (sic)“.[ii]

A empresa Jessica Kingsley Publishers, com sede em Londres, disse que esse é “o primeiro livro para explicar a transição médica para crianças com sete anos ou mais“. Cópias do livro serão enviadas para 120 escolas com as quais Jessica Kingsley trabalha e espera que centenas delas sejam adquiridas por  outros professores

O portavoz da Editora disse que: “este livro vai desencadear discussão na sala de aula e em casa, respondendo a perguntas difíceis que as crianças podem ter sobre a diversidade de gênero.”  Ele observou ainda que a introdução de banheiros mistos e sem pronomes binários (ele e ela) é um importante passo para a ideologia de gênero.

Termos como “senhoras” e “senhores”,  “meninos” e “meninas” são condenados no livro para que os estudantes transgêneros não sejam discriminados.

O livro começa com uma historinha:

"Meu nome é Kit e tenho 12 anos. Eu moro em uma casa com minha mãe e meu pai, e nosso cachorro, Pickle. Quando eu nasci, os médicos disseram a minha mãe e meu pai que eles tinham uma menina, e assim durante os primeiros anos da minha vida, foi assim que meus pais me criaram. (…) Eu não estava muito feliz assim".

Kit então começa a vestir roupas de meninos, usar pronomes masculinos e os pais mudam o seu nome para Christopher. A personagem discute a possibilidade de cirurgia para a mudança de sexo e, aos 16 anos, toma hormônios masculinos para que seu corpo tenha as mudanças que ocorrem na puberdade dos meninos.

n/d

Daily Mail disse que o livro é “um conjunto desconcertante de termos alternativos” como “cisgender” empregado para “crianças que pensam em si mesmas como sendo o gênero que nasceram” e outros mais absurdos ainda, como: “panromânticos”, “intersex” e “xe”

Líderes religiosos e alguns políticos do Reino Unido dizem que o livro é prejudicial para as crianças. O autor do livro retrucou, dizendo: “nós chamamos  isso de “trans-pânico”, ou seja, um pânico contra essa ideologia absurda e nociva. “O mundo está mudando; um livro como esse é necessário”, acentuou.

A jornalista Sarah Vine criticou o livro em sua coluna no Daily Mail: “Ao tentar melhorar a vida de uma pequena minoria, nós estamos ameaçando a sanidade das crianças normais – e sim, vou dizer – crianças normais. É hora de acabar com essa tolice.”[iii]

*   *   *

Já comentamos aqui um estudo publicado pela revista The New Atlantis sobre “Sexualidade e Gênero: achados das Ciências Biológicas, Pscicológica e Social” de autoria de dois dos principais estudiosos sobre saúde mental e sexualidade da atualidade, que são os Drs. Lawrence Mayer e Paul McHugh. Nesse trabalho, esses cientistas  constataram que “apenas uma minoria de crianças que sofrem de identificação com o gênero continuará a ter o mesmo problema na adolescência ou na idade adulta.”

Os Drs. Lawrence e McHugh demonstram também preocupação com a intervenção médica proposta para crianças: “Estamos preocupados com a crescente tendência para incentivar as crianças com problemas de identidade de gênero para a transição para o seu gênero preferido através de procedimentos médicos e, em seguida, cirúrgicos. Há pouca evidência científica sobre o valor terapêutico das intervenções como atrasar a puberdade ou modificar as características sexuais secundárias dos adolescentes. “ Os membros da população transgênero também estão em alto rico de sofrer problemas de saúde mental.

Apesar desses abalizados estudos, continua a existir um forte lobby da agenda homossexual para propagar a famigerada ideologia de gênero no mundo inteiro. Por quê? Qual o interesse disso?

Só podemos ver nisso uma revolta contra Deus que fez o Homem à sua imagem e semelhança. Nesse sentido, tal ideologia parece ter sido inventada pelo próprio demônio que tenta destruir a todo custo a obra do Criador.

Bibliografia:

[i] https://www.lifesitenews.com/news/uk-children-starting-at-age-7-will-study-reading-writing-gender-transitioni

[ii] http://www.educateandcelebrate.org/

[iii] http://www.dailymail.co.uk/debate/article-4031432/Gender-children-death-common-sense-SARAH-VINE-vocal-transgender-lobby-threaten-sanity-normal-youngsters.html

Fonte: http://ipco.org.br  via  www.rainhamaria.com.br

 

Veja também...

10 razões pelas quais a ideologia de gênero é a pior inimiga da família. Além de violar a ordem natural estabelecida por Deus

A ideologia de gênero é nociva às crianças, afirmam pediatras americanos

Transgenerismo: Uma revolta contra Deus. A Ideologia de Gênero é a mais radical rebelião possível contra Deus, o ser humano não aceita que é criado homem e mulher

Ciência Biológica versus Ideologia de Gênero: Alexandre Garcia faz um Alerta aos Pais

A rebelião final contra Deus continua: Noruega vai permitir que pessoas mudem de sexo simplesmente marcando um quadradinho, e crianças até de 6 anos de idade poderão mudar de sexo sem nenhum procedimento médico

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne