Menina de 4 anos troca festa de aniversário por celebração com crianças carentes que vivem em abrigo no Amapá


19.04.2017 -

n/d

A pequena Maria Luna Rodrigues, de 4 anos, quer comemorar a chegada dos 5 anos, no dia 4 de maio, com uma celebração surpreendente. Ela decidiu festejar a data com doações de brinquedos e roupas às crianças que vivem no abrigo Casa da Hospitalidade, organização sem fins lucrativos no município de Santana, a 17 quilômetros de Macapá.

A mãe Thayse Rodrigues, de 27 anos, contou ao G1 que ela e a filha moravam em Santana e diariamente passavam em frente ao abrigo. Curiosa, a menina quis saber o que funcionava no local e a mãe explicou que ali moram crianças carentes e com necessidades especiais.

Mesmo mudando para Macapá, a mãe, que é professora, conta que a filha nunca esqueceu da história do abrigo. Em uma noite, quando as duas estavam jantando, elas iniciaram uma conversa sobre os preparativos para a festa de aniversário de Maria Luna.

"Ela ficou com a história do abrigo na cabeça e achei que fosse esquecer. Mas um dia perguntei sobre a festinha e ela ficou pensativa. De repente, me perguntou como é o aniversário das crianças que não têm pai, nem mãe. Eu, meio sem saber o que dizer, respondi que todo mundo faz aniversário, mas que nem todas as crianças têm a oportunidade de ganhar festinhas e presentes. Ela parou de comer e ficou triste", lembra Thayse.

Então, segundo a mãe, a menina teve a ideia de no dia do aniversário levar presentes e preparar uma festa para as crianças do abrigo. Emocionada, Thayse contou o diálogo na rede social Facebook e o caso ganhou repercussão. Sem condições financeiras suficientes para bancar as doações, a mãe de Maria Luna iniciou uma campanha para arrecadar brinquedos e roupas e assim realizar o desejo da filha.

n/d

"Ela disse que gostaria de dividir o aniversário com as crianças que não podem ganhar festinhas. Até teve a ideia de pedir ajuda para minhas amigas, que conseguissem brinquedos com os filhos delas. Eu fiquei sem reação, chorei ao ver ela tão pequena com um coração tão grande", contou a mãe na rede social.

A menina contou que ficava triste todas as vezes que passava em frente ao abrigo e por isso decidiu que queria comemorar o aniversário com as crianças carentes.

"Eu ficava muito triste porque as crianças não têm festinha. Quero comemorar com eles e comprar brinquedos novos para que eles possam brincar também", disse Maria Luna.

Maria é uma criança bondosa e especial desde pequena, contou a mãe, ressaltando que ela sempre foi uma menina com uma personalidade notável.

"Minha filha desistiu da sua festinha, e todo mundo que conhece sabe que ela só falava nisso, pra fazer a alegria de outras crianças. Isso não poderia me dar mais orgulho", comentou, emocionada.

Segundo a professora, a família está recebendo ajuda com brinquedos, material de higiene, fraudas e roupas na casa da família, na Zona Sul de Macapá.

n/d

A Casa da Hospitalidade está sem convênios há mais de um ano e meio e as atividades seguem em funcionamento motivadas por doações. A instituição sobrevive de donativos vindos de ações da sociedade, através de faculdades, escolas e pequenas empresas.

A Casa da Hospitalidade funciona como um abrigo que acolhe 94 pessoas com deficiências múltiplas, algumas com transtornos mentais, e crianças com desenvolvimento normal. Fonte: G1

============================

Nota de www.rainhamaria.com.br

Por Dilson Kutscher

Normalmente, com raras exceções, os filhos tendem a imitar seus pais nas atitudes. Na maioria das vezes, se os pais forem apegados aos bens materiais, não se importando em fazer caridade com os mais necessitados, seus filhos podem igualmente seguir essa atitude egoísta, gananciosa e impiedosa como exemplo de vida. Mas, também muitos pais e demais familiares, podem ser tocados de coração, por atitudes de bondade e caridade, vindas de suas crianças e jovens, pois, a força que emana de um coração caridoso com seu próximo, pode contagiar muitos outros corações por mais duros que ele possam ser. Numa sociedade que tornou-se indiferente ao seu próximo, seu irmão mais necessitado, não só de alimentos, mas de uma palavra de conforto ao coração, uma atitude vinda de um menino, é uma mensagem a todos, que para fazer o bem e praticar a caridade, o amor ao seu próximo, basta ter atitude e um coração bondoso e misericordioso...porque...

"A caridade (o amor) é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante. Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará. Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade". (I Coríntios 13, 4-8 e 13)

E mesmo que...

"Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada". (I Corintios 13, 2)

Diz ainda na Sagrada Escritura:

"Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é este: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor; amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu espírito e de todas as tuas forças. Eis aqui o segundo: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Outro mandamento maior do que estes não existe". (São Marcos 12, 29-31)

 

Veja também...

Carta aberta a um pai cansado: É da natureza humana os filhos imitarem os pais. Para o melhor ou para o pior

Onde enxergamos Cristo? A verdade é que estamos passando por Ele, talvez todos os dias sem perceber. Pois Ele mesmo disse: Tive fome e não me deste de comer, tive sede e não me deste de beber, estive nú e não me vestiste (São Mateus 25)

Menina de 2 anos dá uma lição contra o preconceito: Ela quis que seus pais comprassem uma boneca de pele negra e rebateu comentários racistas da vendedora

Empresário presenteia menino que vendia balas na rua para comprar o material escolar. Olha como Deus é perfeito! Esse menino veio me vender bala pra comprar o material escolar. Logo eu, dono de papelaria!

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne