Padre Divino Antônio Lopes: Todo aquele que quer ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus (São Tiago 4, 4)


17.07.2017 -

n/d

"Todo aquele que quer ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus". (São Tiago 4, 4)

=====================================

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Prezados fiéis, quero falar-lhes hoje, sobre o mundo inimigo de Deus e das almas.

Esse mundo inimigo de Deus, trava uma terrível batalha contra Jesus Cristo e seus seguidores: “Ele estava no mundo e o mundo foi feito por meio dele, mas o mundo não o reconheceu” (Jo 1,10).

1º PONTO

O QUE É O MUNDO?

Essa definição não se refere ao conjunto da criação (e dentro dela a humanidade), e não se refere também aos bens da terra (caducos), mas sim, como já foi dito, ao mundo inimigo de Deus; que guerreia com Nosso Senhor, contra a Sua Santa Palavra, e contra os seus seguidores.

Prezados fiéis, se alguém nos pedisse uma definição sobre esse mundo inimigo de Deus e dos seus filhos fervorosos; qual definição lhe daríamos?

Sem jogo de cintura e sem duplicidade, lhe diríamos o seguinte: “O mundo é um mercado diabólico. Satanás conhece que, pelos méritos de Jesus Cristo Salvador, nós nos tornamos possuidores de riquezas inestimáveis; conhece também a nossa ingenuidade. E ele, o Maligno, o Voraz, gira pela praça do mundo para fazer as suas infernais barganhas” (Pe. João Colombo), ou então lhe diríamos que: “O mundo, inimigo da nossa alma, são os grandes centros de população, onde o luxo e a vaidade encontram vasto campo em que saciar os seus apetites, onde os olhos topam com os objetos mais execrados, onde os vícios mais abjetos deram em terra com as nobres estátuas das virtudes e se arvoraram eles em mentores da humanidade!...” (Pe. Alexandrino Monteiro, Raios de Luz, 43). Poderíamos ainda lhe dizer; que o mundo é um monstro frenético ou então um palhaço assassino, que atrai as almas para matá-las espiritualmente.

Para entenderem melhor as definições sobre o mundo, lhes contarei algo, e tenho certeza que no final, vocês entenderão melhor o que foi dito no início.

Quando Cristóvão Colombo voltou da América, logo se espalhou por toda a Europa a notícia daquela região maravilhosa, onde os frutos cresciam até rebentarem as plantas por peso excessivo, onde toda montanha ocultava ouro, e toda criança brincava com pérolas. Acorreram então para lá homens ansiosos de gozo e de riqueza. Com muitas seduções aproximaram-se dos indígenas, e, enganando-os, permutavam guizos, espelhinhos, brinquedos, por barras de ouro e de prata. E, se algum indígena, mais atilado, não  queria ceder a sua riqueza verdadeira por aquelas bugigangas, por violência ele era forçado e morto.

Caríssimos fiéis, existem milhões de católicos que se assemelham com os selvagens da América, não são capazes de avaliar os tesouros que trazem na alma; e o demônio, inimigo das almas, percorre “banca” por “banca”, à semelhança daqueles comerciantes que enganaram os índios, lutando para fazer as terríveis trocas. E milhares aceitam essa troca, jogam o tesouro da graça no lixo, para viverem um minuto de prazer.

E aqueles que não aceitam essa troca, são terrivelmente perseguidos pelo mundo e seus “carniceiros”: “A hostilidade dos perversos soa como um louvor para a nossa vida, porque demonstra que temos pelo menos algo de retidão enquanto somos incômodos para os que não amam a Deus: ninguém pode ser agradável para Deus e para os inimigos de Deus ao mesmo tempo. Demonstra que não é amigo de Deus quem busca agradar aos que se opõem a Ele: e quem se submete à verdade lutará contra o que se opõe à verdade” (São Gregório Magno, In Ezechielem Homiliae, 9).

Está claro que luz e trevas não combinam, não podem “morar” na mesma casa: “Este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque as suas obras eram más. Pois quem faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que suas obras não sejam demonstradas como culpáveis” (Jo 3,19-20).

2º PONTO

O MUNDO É INIMIGO DO BEM

Prezados fiéis, esse mundo que guerreia contra as virtudes é inimigo do bem; ele trabalha furiosamente para impedir que o bem se alastre, querendo dessa forma, escravizar as pessoas, fazendo as mesmas viverem na escuridão, longe da Luz Eterna que é Deus: “... o mundo inteiro está sob o poder do Maligno” (1 Jo 5,19).

Não nos iludamos, o mundo é um terrível inimigo do bem,  ele não  “dorme” e não “descansa”, está sempre com as sua ondas lamacentas, afogando diariamente milhões e milhões de almas.

Será que podemos encontrar algo de bom nesse mundo inimigo de Deus? Claro que não; e isso posso provar na Sagrada Escritura:

A - O mundo é mentiroso: “O Espírito da verdade, que o mundo não pode acolher, porque não o vê nem o conhece” (Jo 14,17). É por  isso que o mundo é cheio de covardias, injustiças, etc., e aquele que o segue, vive da maneira que ele “prega”.

B - O mundo é odiento: “Como vós não sois do mundo, o mundo vos odeia” (Jo 15,19). O mundo odeia terrivelmente os que seguem a Deus, arma todos os tipos de armadilhas para destruí-los; mas ele é tão odiento, que até os seus, ele os “ama”, para desgraçá-los.

C - O mundo é agitado: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo dá” (Jo 14,27). Será que uma pessoa sente paz na alma, depois de ter passado uma noite na agitação do mundo? Claro que não! Com  certeza o interior dessa pessoa está destroçado e angustiado, porque é isso que o mundo oferece.

D - No mundo não há salvação. O próprio Jesus Cristo disse: “...não rogo pelo mundo” (Jo 17,9), está claro que “Jesus Cristo excluiu da sua redenção o mundo” (Pe. João Colombo).

3º PONTO

O MUNDO É TERRÍVEL PERSEGUIDOR

O mundo é um inimigo implacável, ele não dá descanso para os amigos e seguidores de Nosso Senhor Jesus Cristo. Esse monstro frenético, arma todos os tipos de ciladas e armadilhas para destruir os fiéis discípulos de Jesus Cristo.

O católico autêntico, aquele que vive a Palavra de Deus, faz o bem em meio a grandes ataques e guerras, porque o mundo não fica calado diante de uma boa obra: “Aquele que teme o mundo jamais cumprirá coisa digna de Deus: porque a obra de Deus não se pode fazer sem que o mundo se revolte!” (Santo Inácio de Loyola).

Nosso Senhor também fala da perseguição do mundo contra as pessoas fiéis a Ele: “Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; mas, porque não sois do mundo e minha escolha vos separou do mundo, o mundo, por isso, vos odeia. Lembrai-vos da palavra que vos disse: O servo não é maior que seu senhor. Se eles me perseguiram, também vos perseguirão...” (Jo 15,18-20).

Prezados fiéis, quando esse terrível inimigo não consegue nos seduzir, então ele lança contra nós uma cruel perseguição.

Quais os tipos de perseguições que ele lança contra os amigos de Jesus?

A - “Privam-se da promoção, em certas repartições, os que cumprem publicamente os seus deveres religiosos, ou os que mandam os filhos a escolas católicas” (AD. TANQUEREY, Compêndio de Teologia Ascética e Mística, 213,B, a).

Esses amigos devotos de Nosso Senhor são criticados e humilhados publicamente; se assemelham aos mártires da Igreja Primitiva: “Amam a todos e por todos são perseguidos. São ignorados e, no entanto, condenados; entregues à morte, dão a vida... Vilipendiados e no meio dos opróbrios enchem-se de glória; cobertos de ignomínia, cresce sua reputação; por isto mesmo obtêm a glória. Destruída sua fama, a justiça dá-lhes testemunho. Repreendidos, bendizem. Tratados com desprezo, prestam honra. Ao fazerem o bem, são castigados como maus; punidos, alegram-se como se revivessem” (Da Epístola a Diogneto).

Caríssimos fiéis, é assim que o mundo faz com os amigos de Nosso Senhor; ele os “chuta”, “escarra-lhes”, “joga-lhes pedras”, etc., tentando destruí-los.

B - “Outras vezes desviam-se da prática da religião os tímidos, metendo a riso os devotos... motejando das mães de família que persistem em vestir modestamente suas filhas, perguntando-lhes ironicamente se é assim que as esperam casar. E quantos, realmente, que vencidos do respeito humano, e mau grado os protestos da consciência, se deixam escravizar por essas modas tirânicas que já não respeitam o pudor!” (AD TANQUEREY, Compêndio de Teologia Ascética e Mística, 213,B, b).

Muitos não suportam os ataques do mundo, e levados pela fraqueza e pelo respeito humano, abandonaram o caminho de Deus e mergulharam em suas águas lamacentas; para esses diz São Cipriano: “Se o mundo odeia o cristão, porque tu o amas, a ele que te aborrece, e não preferes seguir a Cristo que te remiu e te ama?”

C - “Em outras circunstâncias empregam-se ameaças: se fazeis assim alarde de vossa religião não há lugar para vós em nossos escritórios; se levais tão longe os melindres do pudor, é inútil vir às nossas salas; se sois tão escrupulosos, não vos posso empregar no meu serviço: é necessário proceder como toda a gente e enganar o público, para fazer dinheiro” (AD. TANQUEREY, Compêndio de Teologia Ascética e Mística, 213,B, c).

É assim mesmo, prezados fiéis; o mundo inimigo da nossa alma, usa todos os tipos de ameaças para intimidar as pessoas, com a intenção de desviá-las do caminho da salvação.

Diante desse mundo sujo e ameaçador, devemos agir com convicção e dizer-lhe: “Sou cristão e não abandonarei a Cristo” (São Policarpo, mártir).

4º PONTO

OS FILHOS DO MUNDO

Prezados fiéis, o mundo inimigo de Deus possui os seus filhos, e não são poucos, e sim, milhões. Esses pisam com desprezo o Sangue Precioso de Nosso Senhor para servir o mundo; desprezam a Palavra de Deus para obedecerem as máximas do mundo; tratam com indiferença os bons conselhos para seguirem o caminho do mal. E o pior de tudo é que a maioria são católicos batizados, com primeira Comunhão e crismados; jogaram fora tudo o que aprenderam, para seguirem a lama do mundo: “Pois, tendo conhecido a Deus, não o honraram como Deus nem lhe renderam graças; pelo contrário, eles se perderam em vãos arrazoados, e seu coração insensato ficou nas trevas. Jactando-se de possuir a sabedoria, tornaram-se todos e trocaram a glória de Deus incorruptível por imagens do homem corruptível, de aves, quadrúpedes e répteis... Eles trocaram a verdade de Deus pela mentira e adoraram e serviram à criatura em lugar do Criador” (Rm 1,21-23.25).

Para esses filhos do mundo, que antes aproximaram da Luz Eterna, que beberam da Água Cristalina, que são os Sacramentos, que conhecerem o caminho do bem; e que agora servem ao “deus” mundo, vivendo nas trevas do pecado, bebendo da lama da imoralidade e percorrendo o caminho do mal, a Palavra de Deus diz com rigor: “...o seu último estado se torna pior do que o primeiro. Assim, melhor lhes fora não terem conhecido o caminho da justiça do que, após tê-lo conhecido, desviaram-se do santo mandamento que lhes foi confiado” (2 Pd 2,20-21).

O mundo é mau, e os seus filhos seguem-no em sua maldade; eles cometem todo tipo de maldade para subirem na vida.

Os filhos do mundo para conseguirem bens materiais, agem com injustiça e trapaça. Os mesmos, para subirem de cargo em um trabalho, falam mal e até caluniam quem está à frente, com a intenção de ocupar-lhe o cargo. Outros adulam os empregados para levá-los a agirem com esperteza nas vendas ou então em negócios. Para esses infelizes que servem o mundo inimigo de Deus estão reservadas as seguintes Palavras: “Insensato, nessa mesma noite ser-te-á reclamada a alma. E as coisas que acumulaste, de quem serão?” (Lc 12,20).

5° PONTO

A FUGA DO MUNDO

Prezados fiéis, se sabemos que o mundo é mau e inimigo de Deus, cabe a nós fugirmos dele o quanto antes. Aquele que não foge do mundo, e que vive a agradar-lhe, é sem dúvida inimigo de Deus: “Adúlteros, não sabeis que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Assim, todo aquele que quer ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus” (Tg 4,4).

No nosso coração não há lugar para dois senhores, ou ele é de Deus ou então é do mundo, porque Deus não habita em um coração que serve o mundo: “Ninguém pode servir a dois senhores. Com efeito, ou odiará um e amará o outro, ou se apegará ao primeiro e desprezará o segundo. Não podeis servir a Deus e ao Dinheiro” (Mt 6,24). Está claro que o amor desordenado do mundo é incompatível com o amor de Deus: “Dois amores fizeram duas cidades: o amor próprio até ao desprezo de Deus, a terrena; o amor de Deus até ao desprezo de si mesmo, a celestial” (Santo Agostinho, De civitate Dei, XIV, 28).

Caríssimos fiéis, para concluir esse sermão sobre o mundo, quero contar-lhes o seguinte: Santo Anselmo, arrombado em êxtase, viu, um dia, um imenso rio que arrastava todas as imundícies da terra, de modo que nenhuma cloaca se achou mais nojenta do que aquela. Sobre as negras e espumosas águas da caudal, transportados em rapina, alvejavam muitos  cadáveres de homens, mulheres, rapazes, ricos, pobres, com os ventres  túmidos de lodo. Tendo o Santo perguntado o que significa aquela visão, assim lhe foi respondido: “O rio é o mundo, e os afogados são os seus amados”.

Eu digo a vocês, prezados fiéis: “Fugi do meio da Babilônia (e salve cada um a sua vida)” (Jr 51,6), e também: “Odiai o mundo e tudo que nele há” (Apoftegmas, Letra Alfa, Do Abade Antão, 5).

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Padre Divino Antônio Lopes FP

Fonte: www.filhosdapaixao.org.br  via   www.rainhamaria.com.br

 

Veja também...

Lembrando o Padre Divino Antônio Lopes: Os covardes dizem Sim a Barrabás

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne