A incrível avalanche que se negou a destruir uma Igreja dedicada a Virgem Maria


11.06.2018 -

Foi em pleno 2018, no final do mês de Nossa Senhora!

Avalanche nas montanhas costuma ser sinônimo de catástrofe – ainda mais quando vêm abaixo 7.500 metros cúbicos de rocha, desabando avassaladoramente de um paredão praticamente vertical situado a poucos metros de um santuário mariano de 526 anos de história.

O que tinha tudo para se transformar em cenário de destruição total aos pés do paredão rochoso do Vale de Spulga, no norte da Itália, porém, surpreendeu quem viu os vídeos e fotos da avalanche em pleno avanço montanha abaixo, no último dia 29 de maio, rumo à igreja e ao vilarejo construídos perto da fronteira com a Suíça.

O padre Andrea Caelli declarou ao jornal italiano Avvenire:

“Como católico, eu afirmo que a Mão Providente de Deus acompanhou este evento que poderia ter terminado em tragédia”.

O Santuário de Gallivaggio foi construído a partir de 1492, quando duas jovens relataram uma visão de Nossa Senhora no local.

Milagre?

É comum que muita gente veja esse tipo de fato como milagroso. Do ponto de vista da Igreja, não é um milagre. É um fato perfeitamente explicável por dinâmicas naturais que, embora não aconteçam com grande frequência, estão dentro do previsto pela física.

A Igreja adota critérios muito exigentes para declarar que algum fenômeno é milagroso – e, ao longo dos séculos, descartou a esmagadora maioria das alegações de milagre de todo tipo. Os milagres de cura, por exemplo, chegam a demorar décadas até ser reconhecidos: os fatos precisam ser cuidadosamente estudados por médicos, revisados por cientistas (na maioria dos casos, laicos e até mesmo ateus), expostos às críticas públicas e, só depois de feitos todos os estudos científicos, a própria Igreja faz a análise teológica mediante o trabalho das suas comissões de especialistas. A propósito, você pode conhecer um pouco mais sobre a delicada avaliação de supostos milagres por parte da Igreja clicando neste artigo sobre os 7 critérios para se declararem milagrosas as curas que acontecem no santuário de Lourdes, neste outro sobre 5 milagres que a ciência não conseguiu explicar até hoje, e neste outro sobre a médica ateia que avaliou mais de 1400  milagres e testemunhou que eles existem.

Sinais

No entanto, um acontecimento não precisa ser tecnicamente milagroso para ser visto como um sinal de esperança. É o caso, entre tantos outros, de imagens de Jesus e de Nossa Senhora que permaneceram intactas em terremotos que derrubaram edifícios inteiros ao seu redor, ou de altares que resistiram a bombardeios. Mesmo que esses acontecimentos sejam tranquilamente explicáveis pela ordem natural das coisas, nada impede que sejam vistos pelas pessoas como sinais inspiradores de encorajamento, esperança e sentido no meio do absurdo e do caos.

O cristão acredita que Deus nos fala através de sinais, sejam naturais, sejam sobrenaturais, e que Ele sempre deixa à liberdade de consciência de cada um a decisão final de como interpretá-los. Os próprios ateus, aliás, costumam enfatizar que as tragédias são uma “prova” de que Deus não existe, apelando para a sua “fé” na inexistência de Deus com base em sinais passíveis de interpretações pessoais (que, aliás, cientificamente falando, não são válidos como provas).

Para um cristão, a existência de Deus, e de um Deus que é Amor, não é incompatível com a experiência transitória da tragédia: o próprio Deus, Encarnado em Cristo, enfrentou nada menos que a crucificação e a morte na cruz para remir a humanidade que tinha escolhido o pecado em detrimento da graça. A fé cristã propõe que a vida terrena é uma breve experiência do bem e do mal que a nossa liberdade pode escolher antes de termos acesso à eternidade para a qual fomos criados – e na qual, conforme a nossa escolha que o próprio Deus respeitará, viveremos ou junto d’Ele para sempre ou afastados d’Ele para sempre.

Para quem crê na inexistência de Deus, tudo é e será sempre mero acaso e falta de sentido. Para quem acredita em Deus e no sentido sobrenatural da existência, tudo é e será sempre um grande milagre, testemunhado por uma abundância de sinais repletos de sentido.

O vídeo

Confira as impressionantes imagens da quase-tragédia neste vídeo:

Visto em: pt.aleteia.org

===========================

Nota de www.rainhamaria.com.br

Diz na Sagrada Escritura:

"Jesus olhou para eles e respondeu: "Para o homem é impossível, mas para Deus todas as coisas são possíveis". (São Mateus 19, 26)

Diz ainda na Sagrada Escritura:

"Numa só palavra de Deus compreendi duas coisas: a Deus pertence o poder". (Salmos 61, 12)

"A palavra de Deus faz calar o vento; só com o seu pensar apazigua o abismo, no meio do qual o Senhor plantou as ilhas". (Eclesiástico 43, 25)

"Quem entre os deuses é semelhante a vós, Senhor? Quem é semelhante a vós, glorioso por vossa santidade, temível por vossos feitos dignos de louvor, e que operais prodígios?" (Êxodo 15, 11)

"Oh! como são grandes seus milagres e como são poderosos seus prodígios! Seu reinado é um reinado eterno, e sua dominação perdura de geração em geração". (Daniel 3, 100)

 

Veja também...

Por que Deus salva imagens, mas permite que a obra dos homens em volta seja arrasada?

Hiroshima e a bomba atômica: Na hora da detonação, um padre celebrava a eucaristia. Veja o que aconteceu

 

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne