ONU faz alerta sobre desastre ambiental


29.10.2007 - A mudança climática é uma prioridade mundial, que exige vontade política e liderança para ser enfrentada, mas vem recebendo, indica o informe da ONU, uma resposta mundial lamentavelmente inadequada.

A crise que o mundo enfrenta, atualmente, não é apenas reativa ao meio ambiente, mas também de desenvolvimento e de energia. Afeta as populações de peixes e as terras férteis, além da quantidade e qualidade das reservas de água doce. Os problemas do passado persistem e estão surgindo novos: o aumento das "áreas mortas", a carência de oxigênio nos oceanos e o ressurgimento de doenças relacionadas com a degradação do meio ambiente.

Nos países em desenvolvimento, cerca de três milhões de pessoas morrem a casa ano, em conseqüência de doenças de origem hídrica. A água contaminada é a maior causa de doenças humanas e da mortalidade, em todo o mundo, e os mais atingidos são as crianças menores de cinco anos. Cerca de 2,6 bilhões de pessoas carecem de serviços sanitários avançados.

Para alcançar as Metas do Milênio em relação à fome, dever-se-á, até 2050, duplicar a produção de alimentos, o que provocaria um consumo ainda maior de água.

As espécies estão-se extinguindo, num ritmo 100 vezes maior do que o observado nos registros. Mais de 30% dos anfíbios, 23% dos mamíferos e 12% das aves correm risco de extinção. A perda de diversidade genética pode ameaçar, inclusive, a segurança alimentar. Entre as populações indígenas, a segurança alimentar e a saúde estão em perigo devido ao aumento da quantidade de mercúrio e de contaminantes orgânicos abandonados no meio ambiente.

Para o vice-secretário geral da ONU, Achim Steiner, "a resposta mundial a esses problemas está sendo realizada num ritmo e grau de atuação que não respondem, ou não reconhecem, a magnitude das dificuldades enfrentadas pelas populações e pelo meio ambiente do Planeta". O informe da ONU alerta que a única forma de abordar esses problemas mais árduos é impor que o meio ambiente passe a fazer parte do núcleo do processo de tomada de decisões, deixando de ser um aspecto marginal.

Enquanto isso no Brasil...

Enquanto isso, em nosso país, a defesa da vida e a preservação da Amazônia ganharam um aliado importante: Dom Lorenzo Baldisseri, núncio apostólico no Brasil, que lançou o CD "Florilégio Musical ao Piano", com o objetivo de arrecadar recursos destinados a financiar as ações da Igreja na Amazônia, e as medidas de preservação da região. A obra contém 11 músicas selecionadas e executadas por Dom Baldisseri. "É minha contribuição pessoal à região", disse o núncio, numa coletiva de imprensa.

O CD contém músicas do brasileiro Heitor Villa-Lobos, dos poloneses Michael Kleofas Oginski e Frédéric Chopin, dos espanhóis Isaac Albéniz e Enrique Granados, dos franceses Erick Satie e Claude Debussy e do italiano Vittorio Monti. A iniciativa de Dom Lorenzo Baldisseri é uma parceria com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O CD foi gravado em abril deste ano, no Teatro Rubinstein, da Associação Hebraica de São Paulo.

A Amazônia é o tema da Campanha da Fraternidade-2007. Dom Baldisseri destacou que a Amazônia é estratégica para a humanidade e que a Igreja Católica atua fortemente, na região, em defesa da vida. Segundo ele, o CD é um grande incentivo para as missões católicas que atuam na região, uma vez que os recursos angariados através dele serão investidos em ações da Igreja. "Defender a vida na Amazônia é missão de todos nós, sacerdotes ou leigos", disse o núncio apostólico no Brasil, acrescentando que, a luta em favor da região não pode se limitar à preservação ambiental. Além do meio ambiente, explicou, o foco da Igreja na Amazônia tem sido o homem e suas condições de vida.

Cerca de 200 personalidades políticas e religiosas compareceram ao lançamento do CD. Entre os convidados estavam a primeira-dama, Marisa Letícia Lula da Silva, o chefe do Gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho, o presidente da CNBB, Dom Geraldo Lyrio Rocha, e os bispos do Conselho Permanente da CNBB, além de parlamentares e embaixadores. Aos convidados foi exibido um filme sobre a Amazônia. Dom Baldisseri tocou para uma platéia de dez pessoas, no dia 7 de agosto, durante um almoço, em Castel Gandolfo, a convite de Bento XVI. "O Santo Padre me deu esta grande honra, de oferecer um concerto para ele e alguns amigos", disse. "Após o lançamento, vou enviar a Sua Santidade um CD de presente."

Nascido em Braga, província de Lucca, Itália, o núncio é doutor em Direito Canônico e Licenciado em Teologia Dogmática, em Roma. Foi núncio apostólico no Haiti, Paraguai, Índia e Nepal. Chegou ao Brasil em 2002.

Fonte: Canção Nova News

Rainha Maria - Todos os direitos reservados

PluGzOne