Governo da Bolivia quer legalizar o aborto para os pobres. O projeto permitiria que mulheres mais pobres, interrompam a gravidez com até 8 semanas de gestação


20.03.2017 - Nota de www.rainhamaria.com.br

Artigo traduzido do Diário de Cuyo, da Argentina

Há controvérsias na Bolívia para a legalização do aborto, na proposta que o governo está promovendo, como parte de uma reforma do Código Penal de descriminalizar a prática nas primeiras oito semanas de gravidez, quando a mulher é moradora da rua ou encontra-se em pobreza extrema, não tendo recursos suficientes para si mesmo ou apoio da família para se sustentar.

n/d

O projeto também descriminaliza o aborto em "qualquer fase da gravidez", nos casos em que existe um risco para a vida da mulher grávida, como malformações fetais, se a gravidez foi resultado de estupro ou ainda em caso de mãe adolescente.

Como esperado, a Conferência Episcopal da Bolívia (CEB) reagiu. "A Igreja e a sociedade não pode aceitar essas premissas, o Estado é obrigado a criar políticas públicas para melhorar a vida das pessoas e as políticas educacionais para apoiar as mulheres grávidas, além de prevenção da violência contra a mulher, disseram os bispos em um comunicado, defendendo o direito a vida como um direito fundamental.

n/d

Este projeto aceita a violência do aborto, como uma suposta forma de resolver os problemas sociais e económicos.

============================

Nota de www.rainhamaria.com.br

n/d

Diz na Sagrada Escritura:

"Por que me perguntas a respeito do que se deve fazer de bom? Só Deus é bom. Se queres entrar na vida, observa os mandamentos". (Mateus 19,17)

"Conheces os mandamentos: não mates; não cometas adultério; não furtes; não digas falso testemunho; não cometas fraudes; honra pai e mãe". (Marcos 10,19)

n/d

Nos Dez Mandamentos, encontramos um que diz: “Não matarás”.  (Ex 20,13)

É certo que a expressão negativa enfática de não matar se refere às mais variadas formas que levam à morte. Dentre elas, lembramos do assassinato, da eutanásia e do aborto. O suicídio também é considerado como a quebra desse mandamento, tendo em vista que significa autodestruição, ou negação da própria vida. O termo se origina do latim sui, que quer dizer a si mesmo, e caedere que significa cortar, matar.

Diz ainda na Sagrada Escritura:

"Ouvi, céus, e tu, ó terra, escuta, é o Senhor que fala: Eu criei filhos e os eduquei, eles, porém, se revoltaram contra mim. Ai da nação pecadora, do povo carregado de crimes, da raça de malfeitores, dos filhos desnaturados! Abandonaram o Senhor, desprezaram o Santo de Israel, e lhe voltaram as costas. Ouvi a palavra do Senhor, príncipes de Sodoma; escuta a lição de nosso Deus, povo de Gomorra: Os rebeldes e os pecadores serão destruídos juntamente, e aqueles que abandonam o Senhor perecerão. O homem forte será a estopa. e sua obra, a faísca; eles arderão sem que ninguém possa extinguir". (Isaias 1)

 

Veja também...

Lembrando: Papa Francisco elogia ex-ministra italiana pró-aborto, uma mulher que disse publicamente ter participado de mais de Dez Mil abortos

Artigo do Padre Luiz Carlos Lodi: O homicida desde o princípio. Ele (o demônio) está por trás de todo o movimento pró-aborto

O rigor do Padre Pio diante do pecado do aborto salvava as almas dos pecadores. Ele tinha certeza de que tal pecado não podia ser tratado como algo comum

Lembrando o Doutor Benjamin Carson, sobre o aborto: Não existe guerra contra as mulheres, existe sim defesa da vida dos que não conseguem se defender

Frei Zaqueu: Aí onde se aprova o aborto por lei, ou alguma lei anticristã, há mais demônios presentes, e aos milhares, que em qualquer outro ato do maligno. Uma lei que legaliza e normaliza o mal permite muitos milhares de males para a sociedade

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne