De acordo com o testemunho gravado, de uma mulher que foi a organização abortista Planned Parenthood, um médico admitiu que os bebês nascidos vivos são mortos para completar um aborto: Nós quebraríamos o pescoço do bebê


03.07.2017 - Nota de www.rainhamaria.com.br

Poucos no Brasil sabem o que é a Planned Parenthood, a ONG que recebeu cerca de US$ 530 milhões anuais do governo federal americano para realizar cerca de 324 mil abortos anuais.

No ano passado, vídeos chocantes chegaram ao Youtube mostrando uma funcionária da Planned Parenthood negociando abertamente a venda de pedaços de feto. Os usos variam de rituais satânicos a combustível para calefação, vendidos de US$ 30 a US$ 100 dólares por espécime. Para a transação, o bebê, acima de 24 semanas, não pode ser morto por sucção ou desmembramento, como na maioria dos processos abortivos, mas é retirado, ainda com vida, no que é chamado de aborto parcialmente nascido, para ser morto e desmembrado fora do útero da mãe. (via http://sensoincomum.org)

===============================================

Outra testemunha ocular sugeriu que Planned Parenthood está envolvido em infanticídio.

n/d

De acordo com o testemunho gravado de uma mulher, que foi a Planned Parenthood, um médico admitiu que os bebês nascidos vivos são mortos para completar um aborto.

A mulher foi para Planned Parenthood para fazer um aborto. O primeiro passo em seu aborto foi injetar no bebê a digoxina através da barriga da mãe. Digoxina é um forte medicamento para o coração que mataria o bebê. A mulher testifica que recebeu a injeção e foi enviada para casa.

n/d

Mas depois de ler a informação dos ativistas pró-vida dada, ela começou a ter um segundo pensamento. 

n/d

No dia seguinte, ela pediu um ultra-som antes de completar o aborto, que revelou que a digoxina não havia funcionado. Seu bebê estava vivo e bem.

Já hesitando, ela perguntou aos abortistas: "Se vocês deveriam tirá-lo agora mesmo, enquanto ele ainda está vivo, e seu ritmo cardíaco normal, o que vocês fariam?".

n/d

Os abortistas olharam um para o outro, e um então admitiu...

"Nós não dizemos às mulheres isso, e muitas mulheres nem sequer fazem essa pergunta, mas se nós prosseguir com o aborto e o bebê sair ainda vivo e ativo, muito provavelmente quebraríamos o pescoço dele".

n/d

A mãe decidiu então sair de lá para dar vida a seu bebê. Ela disse aos abortistas para remover os dilatadores para que ela pudesse ir para casa, mas eles começaram a pressioná-la para continuar.

"Quanto mais eu estava dizendo não, era mais como se eles estivessem tentando me vender", ela explicou. "Como um vendedor que o empurra e o empurra até você comprar ... Foi assim que sentiu, como se estivessem tentando para me vender esse aborto".

Eventualmente, a mulher foi libertada e foi para casa. Ela deu à luz a seu bebê e está indo bem.

Mas as questões permanecem quanto às práticas da Planned Parenthood. Devido à natureza privada do aborto, ninguém sabe o quão difundida a prática do infanticídio na indústria.

A lei estabelece claramente que "todas as medidas razoáveis" devem ser tomadas no caso de bebês destinados a serem abortados, mas nascidos vivos "para preservar a vida e a saúde" da criança.  

No entanto, como a mulher ouviu: "Nós não dizemos isso às mulheres". Tais violações da Lei de Proteção aos Lactores do Nascimento vivo da Minnesota, obviamente, não são relatadas pela maior e mais lucrativa cadeia de abortos da nação.

Os pró-vida estão pedindo respostas. "Planned Parenthood em Minnesota deve ser investigado", disse Brian Gibson, diretor executivo dos Ministérios da ação Pro-Life. "Quantas outras leis eles estão dispostos a provavelmente violar? Não fazemos ideia, uma vez que não há inspeções, não há verificações de conformidade e nenhuma investigação, quando essas realidades são reveladas".

O Centro de Progresso Médico (CMP) lançou recentemente novas imagens secretas com um abortista da  Planned Parenthood, implicando que, quando a digoxina falha, ele mata bebês nascidos vivos. "A chave é, você precisa prestar atenção a quem está na sala", confessou o abortista.

Fonte: www.lifesitenews.com  (artigo traduzido)

 

Veja também...

Planned Parenthood, a diabólica indústria que comercializa órgãos de bebês abortados e a declaração de ex-funcionário: O coração do bebê abortado estava batendo, enquanto colhíamos seu cérebro

Artigo do Padre Luiz Carlos Lodi: O homicida desde o princípio. Ele (o demônio) está por trás de todo o movimento pró-aborto

Aborto e Engenharia Social: A maior de todas as guerra e a maioria não percebe. Impunemente pratica-se hoje o maior genocídio de toda a história da humanidade, chamado aborto

Frei Zaqueu: Aí onde se aprova o aborto por lei, ou alguma lei anticristã, há mais demônios presentes, e aos milhares, que em qualquer outro ato do maligno. Uma lei que legaliza e normaliza o mal permite muitos milhares de males para a sociedade

Sou plena, feliz e existo porque minha mãe não optou pelo aborto, diz jornalista com microcefalia 

Fala inglês, espanhol, francês e o latim com fluência, toca violino magnificamente, dá conferências, sendo devotado católico: Este jovem talento tem Síndrome de Down. Em vários países, a lei permite abortar casos como este

Sinal dos Tempos: Islândia torna-se o primeiro país do mundo a erradicar o nascimento de crianças portadoras da Síndrome de Down pelo aborto

Santa Gianna, a mãe que escolheu morrer, mas não abortar. Se tiverem que escolher entre a minha vida e a da criança, não tenham dúvida: eu exijo que escolham a dela. Salvem-na

 


Rainha Maria - Todos os direitos reservados
É autorizada a divulgação de matérias desde que seja informada a fonte.
http://www.rainhamaria.com.br

PluGzOne